top of page

“SUS foi exigido na pandemia e conseguiu dar a resposta”, diz palestrante na Conferência da Saúde

Principal desafio da humanidade em décadas, a pandemia do novo coronavírus colocou à prova a capacidade do país em oferecer o atendimento necessário a uma doença nova e mortal. Já são mais de 700 mil pessoas que perderam a vida, mas poderia ter sido muito mais se não houvesse um Sistema Único de Saúde (SUS) universal e gratuito.


Leia também:

“O SUS foi exigido e conseguiu dar a resposta”, ressaltou Bruno Cobra, psicólogo e apoiador Institucional do Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Estado de São Paulo - COSEMS/SP, que ministrou palestra na 5ª Conferência Municipal de Saúde de Motuca realizada na tarde de quinta (2) nas dependências da Câmara Legislativa.


Para ele, a pandemia é traumática, principalmente pelas mortes, mas vem deixando um legado que precisa ser aproveitado. “Só na nossa região foram criadas mais de 50 leitos de UTI. Também podemos aproveitar o aprendizado com o trabalho de monitoramento das pessoas infectadas. Isso não pode ser jogado fora. Tem que permanecer”.


Cobra destacou a importância da vacinação para o enfrentamento da doença. Também demonstrou a necessidade das autoridades e equipes de saúde se prepararem para oferecer atendimento às pessoas que apresentam sequelas após a infecção pelo vírus, a chamada “Covid longa”.


União de esforços

A união de esforços entre o governo federal, estados e municípios com a aplicação de recursos, de acordo com ele, contribui com a execução de ações. “E não é só a pessoa sem plano de saúde que depende do SUS. Quem tem plano também, pois serviços como vacina e vigilância epidemiológica são utilizados por todos”, pontuou. Ele considera, no entanto, um desequilíbrio em desfavor dos municípios nos investimentos na saúde.


Participação popular

Cobra considera importante que os municípios observem os Conselhos Municipais de Saúde como uma ferramenta importante para o desenvolvimento de políticas públicas para o setor. “É preciso que a sociedade participe das discussões junto com as autoridades”. Ele colocou como exemplo o acompanhamento das execuções das metas do Plano Municipal de Saúde como uma das tarefas dos Colegiados.


Como foi a Conferência

A Conferência Municipal de Saúde é realizada com o propósito de debater as realidades de cada cidade com o intuito de aprimorar o SUS. Esta é a 5ª vez que Motuca organiza o evento, que mobiliza a equipe de saúde, autoridades políticas e sociedade.


Foram formados grupos para debater e sugerir propostas para quatro eixos: O Brasil que temos. O Brasil que queremos; O papel do controle social e dos movimentos sociais para salvar vidas; Garantir direitos e defender o SUS, a vida e a democracia; e Amanhã será outro dia para todas as pessoas.


As propostas serão encaminhadas para a etapa regional e poderão ser incorporadas ao relatório final. Quatro delegados foram escolhidos para participar virtualmente de evento regional no dia 29 de março.


Veja fotos do evento:


Comments


bottom of page