top of page

Clima de insegurança eleva tensão de pais e a presença de policiais nas escolas


Viatura da PM estacionada em frente à escola Adolpho na quinta (20), data marcada por boatos nas redes

O atual clima de insegurança diante de episódios recentes vem elevando a tensão de pais e responsáveis, que vem tomando medidas drásticas como deixar os filhos em casa. “Todo dia ela chora querendo ir. Ai eu explico que está tendo ladrão e ela vai entendendo”, diz Marcela Caroline Alves Lima, cuja filha de quatro anos está há cerca de três semanas fora do ambiente de aprendizado. “Todo dia busco o caderninho com a professora para deixar as atividades em ordem”, comenta.


Leia também:

Para ela, as autoridades devem providenciar com urgência medidas que tragam maior proteção aos alunos e profissinais da educação. “Acho que só um guarda na entrada não é suficiente... Também deveriam aumentar os muros e colocar cercas elétricas”, relatou. De acordo com ela, enquanto não houver medidas que considera efetivas pretende continuar deixando a filha em casa.


Outra mãe, que preferiu preservar a identidade, disse ao Cenário que as soluções apresentadas pela Prefeitura são insuficientes. “O prefeito falou que ia contratar bombeiros, mas pelo que sei eles são para casos de primeiros socorros. Não queremos que transforme as escolas em presídio, mais que nossas crianças tenham segurança na escola. Não é pedir muito. Outras cidades já estão tomando as providências", pontuou.


A única medida realizada pela Prefeitura o até o momento foi a contratação da empresa Thor Segurança para serviços de controle de acesso de pessoas na escola EMEF Adolpho Thomaz de Aquino. Guardas municipais passaram a atuar de forma integral na escola EMEIF Maria Luiza Malzoni Rocha Leite. Na EMEI Professor Hildeberto Chierice, do Assentamento 1, não foi informado. Alguns pais, porém, denunciaram alguns momentos descobertos de segurança na entrada.


Reforço policial

Por conta de vários boatos que circularam nas redes sociais, a Polícias Militar (PM) reforçou na quinta (20) o policiamento nas duas escolas do município e na do Assentamento. No dia, o departamento de educação agendou uma reunião de professores e não houve aulas no município. De acordo com o comandante Oliveira, da Polícia Militar (PM) local, até o momento não existem denúncias ou indícios de eventuais acontecimentos como ocorreram em algumas cidades do país. Na vizinha Rincão, o prefeito Braz Rodrigues assinou decreto suspendendo o dia 20 as aulas “devido aos ataques às escolas nos últimos dias”, descreveu.

Comments


bottom of page