top of page

Ricardo diz que uso de placas oficiais por empresa foi pontual e culpa diretor de centralizado


Placa Oficial sobreposta à original. Foto: Filipe Freitas (Facebook)

Em entrevista ao Jornal da Morada, da Rádio Morada de Araraquara (assista abaixo), o prefeito João Ricardo Fascineli disse que o uso de placas oficiais da Prefeitura de Motuca pela empresa Talles Villela Gamba – ME, que presta serviços no transporte de alunos e pacientes, foi pontual, em virtude de uma emergência médica. Ricardo alegou que não foi o responsável pela decisão de concedê-las e culpou o diretor de centralizado.


Ver também:


“Tem uma empresa que presta serviço exclusivo para nós no transporte de pacientes, principalmente os que têm que ir para cidades longes como São Paulo, São José do Rio Preto e Barretos. A viagem era terça-feira. Na segunda (dia da ocorrência) teve a solicitação de última hora. Uma criança estava com suspeita de glaucoma e tinha que sair de madrugada para São Paulo”, alegou.

De acordo com Ricardo, o diretor de centralizado não sabia como lidar com a situação e, como não conseguiu contatá-lo na ocasião, decidiu por conceder as placas. “São Paulo tem rodízio e tem locais que carros particulares não podem estacionar. Inclusive, essa empresa que presta serviço para nós já tinha tomado multas”, relatou.


O prefeito criticou também o agente civil que fez a abordagem no veículo, fazendo alusão a interesses políticos, além de apontar eventuais irregularidades na utilização de veículo apreendido.


A Policia Civil apura se há crime ou infração administrativa no uso de placas oficiais pela empresa. O artigo 8º, da Lei 1.081 (1.950) proíbe o uso de placas oficiais em carros particulares. O fato ganhou repercussão nas redes sociais após um morador postar as fotos do flagrante em seu perfil no Facebook.


Vereador contesta versão de uso pontual de placas

O vereador Irineu Ferreira contestou a versão do prefeito Ricardo de que a utilização das placas oficiais foi pontual, para atender uma emergência médica. “Recebi a denúncia de um morador há pelo menos dois meses e, na ocasião, falei para ele me encaminhar alguma prova, como uma foto”, destacou.


Com o objetivo de apurar eventuais irregularidades, vereadores de Motuca preparam representação junto ao Ministério Público do Estado de São Paulo (MPSP). De acordo com apuração do Cenário, o documento deve ser assinado por Irineu, Altair Pereira da Cruz e José Roberto Legramandi. O Cenário não conseguiu encontrar os dois vereadores até a publicação da matéria.


Assista a íntegra da entrevista de Ricardo


Comentarios


bottom of page