top of page

Gestão da Prefeitura de Motuca possui “baixo nível de adequação” pelo segundo ano, avalia TCESP

Assim como em 2022, a gestão da Prefeitura de Motuca foi avaliada com a nota C, de “baixo nível de adequação”, pelo Índice de Efetividade da Gestão Municipal (IEG-M) (acesse), divulgado anualmente pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCESP) como forma de mensurar a qualidade das políticas públicas nos municípios.


Leia também:


Das sete áreas analisadas, apenas a gestão fiscal e educação aumentaram a pontuação comparando com o ano passado e receberam nota considerada efetiva (B). As demais permaneceram estagnadas e com baixa pontuação. Veja abaixo o histórico das notas e a performance de cada setor.



Questionários

As notas são definidas a partir de questionários encaminhados aos municípios e respondidos dentro do prazo exigido pelo Tribunal. O IEGM divulgado neste mês corresponde ao exercício de 2022. 


Queda na avaliação

Desde a implantação da metodologia, a gestão da Prefeitura de Motuca foi avaliada como efetiva (B) nos dois últimos do ex-prefeito Celso (2015 e 2016) e em duas gestões de Ricardo (2017 e 2019). Por três anos, 2018, 2020 e 2021, todos mandatos de Ricardo, a classificação foi como “em fase de adequação” (C+). Nos dois últimos anos do atual mandato de Ricardo (2022 e 2023) a avaliação caiu para “baixo nível de adequação” (C).


Cidades da região

Entre as cidades vizinhas, Araraquara, Matão e Guariba foram as melhores avaliadas no IEG-M, ainda assim com a nota considerada baixa C+ (em fase de adequação). Assim como Motuca, Rincão, Santa Lúcia, Américo Brasiliense e Guatapará pontuaram com a nota C “baixo nível de adequação”.

Comments


bottom of page