top of page

Baixa cobertura vacinal eleva o risco da volta da poliomielite

Desde 1984 o Brasil não registra casos de poliomielite. Por conta da erradicação da doença, o país recebeu em 1994 da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) a certificação de área livre de circulação do poliovírus selvagem. A conquista se deve às consecutivas campanhas de vacinação com grande adesão da população.


Tal cenário, porém, vem mudando com a crescente resistência de parcela de pais e responsáveis em não imunizarem as crianças. Os movimentos antivacinas, que ganharam espaço com o advento das redes sociais, são considerados os grandes responsáveis por esta mudança de comportamento.


O resultado pode ser catastrófico para a saúde pública do país, com a volta da circulação da doença no país. Um caso suspeito já está sendo monitorado em Roraima (Leia a matéria do Portal G1).


Vacinação longe da meta

A menos de uma semana para o fim da Campanha Nacional de Vacinação que tem como foco principal a prevenção da poliomielite, apenas 34,4% do público-alvo - crianças entre seis meses e 4 anos 11 meses e 29 dias de idade - foi imunizado com 3,9 milhões de doses aplicadas. A meta do Ministério da Saúde era chegar a 95% do público-alvo de 11,5 milhões de crianças. Entretanto, mais da metade delas, 7,5 milhões, ainda não receberam a vacina da contra a paralisia infantil.


Poliomielite

A poliomielite, comumente chamada de pólio, é uma doença altamente contagiosa causada pelo poliovírus selvagem. A grande maioria das infecções não produz sintomas, mas de 5 a 10 em cada 100 pessoas infectadas com esse vírus podem apresentar sintomas semelhantes aos da gripe. Em 1 a 200 casos, o vírus destrói partes do sistema nervoso, causando paralisia permanente nas pernas ou braços. Embora muito raro, o vírus pode atacar as partes do cérebro que ajudam a respirar, o que pode levar à morte.


Campanha de vacinação

O Ministério da Saúde lançou a Campanha Nacional de Vacinação contra a poliomielite e de multivacinação no dia 8 de agosto. A vacinação contra a poliomielite é destinada para crianças menores de 5 anos. A multivacinação é para crianças e adolescentes menores de 15 anos.


Para as crianças estarão disponíveis os seguintes imunizantes: Hepatite A e B; Penta (DTP/Hib/Hep B), Pneumocócica 10 valente; VIP (Vacina Inativada Poliomielite); VRH (Vacina Rotavírus Humano); Meningocócica C (conjugada); VOP (Vacina Oral Poliomielite); Febre amarela; Tríplice viral (Sarampo, Rubéola, Caxumba); Tetraviral (Sarampo, Rubéola, Caxumba, Varicela); DTP (tríplice bacteriana); Varicela e HPV quadrivalente (Papilomavírus Humano).


Para adolescentes: HPV; dT (dupla adulto); Febre amarela; Tríplice viral; Hepatite B, dTpa e Meningocócica ACWY (conjugada).


Comentarios


bottom of page