top of page

Um ano depois da descoberta da Covid, país vive pior momento da pandemia

Atualizado: 2 de mar. de 2021


Enterro de homem morto pela doença em agosto de 2020 em Motuca; cidade já registrou cinco mortes. Foto: Arquivo

Há exatamente um ano, no dia 25 de fevereiro de 2020, um paciente de São Paulo, recém-chegado da Itália, foi diagnosticado com a Covid-19. A partir daí, o vírus se espalhou por todas as cidades do país modificando radicalmente a vida das população por conta de sua gravidade.


No período, cerca de 10 milhões de pessoas foram infectadas, dos quais mais de 250 mil vieram a falecer. Iniciada no começo do ano, a vacinação traz esperança de retorno da vida normal, mas as poucas doses ainda são insuficientes para enfrentar este que é considerado o pior momento da pandemia no país.


O estado de São Paulo, por exemplo, registrou, no último dia 22, o maior número de pacientes com Covid-19 internados em UTIs. Perto de nós, Araraquara, as vagas se esgotaram e os pacientes estão sendo transferidos para outras localidades. Nos dois primeiros meses do ano, Araraquara já teve mais mortes que todo o ano de 2020.


Diante da gravidade do momento, várias cidades da região vêm aumentando medidas restritivas para frear a disseminação do vírus, cujas variantes são consideradas mais contagiosas e de maior gravidade. Ao contrário dos meses iniciais, quando atingia principalmente idosos e pessoas com morbidades, agora também vem levando jovens e pessoas saudáveis aos leitos de UTI e à morte.

Comentarios


bottom of page