top of page

Russia intensifica ataques e ucranianos fogem do país

As tropas Russas intensificaram os ataques e já estão próximos da capital Kiev. Mais de 40 soldados ucranianos morreram e dezenas ficaram feridos nas primeiras horas da ofensiva russa à Ucrânia, que também fez vítimas civis, de acordo com o conselheiro do presidente ucraniano. Com medo, Milhares de ucranianos começaram a chegar a países vizinhos da Europa Central, nesta quinta-feira (24), e a região se prepara para muitos mais, estabelecendo pontos de recepção e enviando tropas às fronteiras para prestar assistência.


Em resposta à ofensiva, o presidente da Ucrânia, Volodimir Zelensky, decretou a lei marcial no país e pediu à população que não entre em pânico. Vídeos e fotos circulam na internet mostrando a população fugindo da capital Kiev e se refugiando nas estações do metrô.


Em vários países já existem manifestações contra a invasão e a morte de pessoas, principalmente as civis. O primeiro protesto conhecido ocorreu do lado de fora da Embaixada da Rússia em Washington por volta das 3h (horário de Brasília), apenas três horas depois que o presidente Vladimir Putin disse que havia lançado a operação militar.


No Brasil, o Ministério das Relações Exteriores (MRE) informou que está preparando um plano de evacuação dos brasileiros que estão na Ucrânia. Estima-se que a comunidade brasileira seja de aproximadamente 500 pessoas.


Líderes do mundo inteiro condenaram a ofensiva russa. O presidente francês, Emmanuel Macron, disse, em mensagem no Twitter, que a França condena firmemente a decisão da Rússia e pediu à Moscou que pare imediatamente as operações militares. O chanceler alemão Olaf Scholz também reagiu ao ataque e disse que era “um dia de vergonha” para a Rússia.


A Otan convocou uma reunião de emergência dos embaixadores dos países-membros nesta quinta-feira para avaliar uma resposta ao ataque.

Comentários


bottom of page