logo_final.png

Ricardo ameniza efeitos de decreto e diz que comércio pode fazer atendimento de forma segura

Atualizado: Mar 31


Rua São João, a principal da cidade, com comércios não essenciais fechados

O prefeito João Ricardo Fascineli amenizou efeitos de decreto municipal que instalou quarentena e pediu bom senso aos comerciantes no enfrentamento ao coronavírus. O posicionamento foi postado em seu perfil no Facebook ontem (29), um dia após a atividade em um bar no centro da cidade ter sido paralisada pela Polícia Militar (PM) por denúncia de aglomeração.


“A gente sabe que os comerciantes possuem boletos para pagar, contas para receber e produtos que podem vencer, mas se precisarem abrir seus estabelecimentos, que façam de maneira segura, com o uso de álcool em gel, atendendo uma pessoa por vez e que não coloquem mesas e cadeiras para ninguém sentarem”, destacou.


Ricardo pediu cuidados às lojas de roupas pelo perigo de contaminação e considerou necessária a suspensão das atividades de academias de ginástica pela dificuldade em isolar as pessoas e pela necessidade de higienização constante nos equipamentos.


“Não permita que fiquem pessoas aglomeradas, pois, caso contrário, vamos ter que agir com o decreto do estado e o da prefeitura e aí tudo vai permanecer fechado”, alertou ele, que revelou nenhum registro de casos suspeitos ou positivos de coronavírus na cidade.


De acordo com o decreto municipal, que seguiu diretrizes do Governo Estadual, o atendimento presencial em estabelecimentos comerciais que não sejam considerados essenciais como supermercados, postos de gasolina e farmácias, deve ficar suspenso no período da quarentena, podendo funcionar apenas na forma de entrega em domicílio (delivery).


A medida também se estende a academia de ginásticas, clubes recreativos, igrejas e lojas em geral. Profissionais liberais somente poderão prestar serviços com agendamento prévios. sem aglomeração de pessoas e com cuidados de higiene constante. O decreto prevê multa pelo descumprimento das determinações que pode variar de de R$ 1.380,50 a R$ 5.5222.


A Prefeitura criou canais de denúncias que revelem o descumprimento das determinações previstas no decreto pelo e-mail denuncia@motuca.sp.gov.br e whatsapp (16) 3348-9300 ou das 08:00hs as 17:00hs pelo telefone 163348-9300. A Polícia Militar (PM) também pode ser acionada pelo 190.

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon

 CONTATO 

Cenário Social

Avenida Marcos Rogério dos Santos,nº 31, Centro,

Motuca-SP - CEP.: 14.835-000

e-mail: ocidadaonocontrole@gmail.com
Tel: 16-33481185