logo_final.png

Rapidinhas da Câmara (Sessão 6/04/2020)

Atualizado: Abr 9

Máscaras e álcool gel

Quatro dos oito vereadores presentes na Sessão Ordinária de segunda (6) usavam máscaras de proteção. As medidas, assim como o uso de álcool em gel, fazem parte de ato oficial do legislativo para a realização das reuniões parlamentares. Inserido entre os grupos de riscos por possui mais de 60 anos, o vereador Irineu não participou, como recomenda o documento.

Sem público

O ex-vereador Gilson Marques de Jesus, assíduo frequentador das Sessões, não conseguiu acompanhar desta vez. O decreto não permite a presença de público, com exceção de autoridades e imprensa, para evitar aglomerações. Ele, no entanto, discordou do ingresso do prefeito Ricardo e o secretário de saúde Márcio Contarim. “Se eles podem também posso”, reclamou.


Médicos

Ao contrário do que alguns vereadores imaginavam, o prefeito Ricardo não usou o tempo que tinha reservado na Tribuna para criticar a retirada do projeto de aumento no subsídio dos cargos de prefeito, vice e secretário. Mas ele não deixou de mencionar o episódio ao argumentar que o município vem perdendo médicos e tendo dificuldade em contratá-los por causa do salário, cujo piso é balizado com o do gestor municipal. “Uma médica pediu demissão esta semana por causa de salário, pois aqui está muito baixo... então tá ficando mais difícil achar médicos para o nosso município”, pontuou. (Assista ao discurso do prefeito).


Coronavírus

O prefeito focou o discurso nas iniciativas do município para o enfrentamento do novo coronavírus e da necessidade os vereadores aprovarem o projeto para a contratação emergencial de profissionais de saúde.


Hospital de campanha

O prefeito chegou a consultar a Diretoria Regional de Saúde (DRS) sobre a possibilidade do município criar um hospital de campanha para atendimento de eventuais moradores infectados pela Covid-19. Ele e o secretário Márcio Contarim tinham até vislumbrado um local, que seria na Academia de Saúde, mas a ideia não saiu do papel em virtude de exigências como a presença de um médico infectologista 24 horas.


Ovos de páscoa

A vereadora Danielle agradeceu empresários e usinas da região que doaram álcool em gel para o município. Ela também parabenizou a Prefeitura e a Secretaria de Educação pela entrega de ovos de pascoa aos alunos da rede municipal de ensino. “Estamos passando por um momento difícil e não poderíamos de deixar as crianças de fora, que já tem que ficar em casa”, relatou. Danielle também exaltou a disponibilização de emenda no valor de R$ 100 mil pelo deputado Arlindo Chinaglia (PT) para ajudar no enfrentamento da pandemia. (Assista ao discurso da vereadora).


A culpa não é minha!

O vereador Tuca se defendeu de acusações de que seria o culpado por aglomerações em bar, após ter ido conversar com o prefeito Ricardo sobre o descontentamento do fechamento dos estabelecimentos pelos comerciantes. “Teve uma pessoa que falou que eu fui o responsável pelos bares abrirem, mas não sou o executivo... sou o legislativo. Fui conversar com o pessoal dos bares depois que o executivo autorizou. Agora... se aconteceu o problema em um dos bares a culpa não é minha”, (assista ao discurso do vereador

https://youtu.be/IURQfxWooOM



Brinde

O vereador Gabriel comemorou o encaminhamento pelo poder executivo do projeto que ampliou as faltas abonadas dos servidores da Prefeitura. Ele tinha apresentado requerimento, mas a iniciativa teve um revés inicial com o parecer de equipe jurídica municipal pela inviabilidade da iniciativa por causa do ano eleitoral, o que foi refutado pelo vereador. “Chegamos ao consenso de que é possível o benefício. Então, em vez de uma, agora foram concedidas duas abonadas, a de aniversário e, ainda, uma de brinde”, destacou.(Assista ao discurso do vereador).


Baixo salário

Mesmo sendo um dos anuentes do requerimento que retirou de pauta o projeto de aumento de subsídio do prefeito, vice e secretários, o vereador Gabriel defendeu uma discussão maior sobre a problemática relacionada à contratação de médicos, até mesmo por meio de uma audiência pública, com a presença de autoridades, do conselho de saúde e moradores (o que é proibido no momento por causa da aglomeração pessoas). “Esta contratação antes era mais fácil, quando tinha a Associação, mas hoje está muito difícil e os médicos estão se negando a trabalhar no município com salário baixo”, avaliou.


Bucha

O vereador Altair afirmou demonstrar desde o início do mandato a necessidade de aumento no subsídio do prefeito como forma de atrair médicos para o município. O projeto, no entanto, de acordo com ele, não chegou em boa hora. “Com nove meses para terminar o mandato temos que tratar essa bucha agora e servir de sacos de pancadas para os outros”, pontuou.Altair destacou ainda a necessidade do município concentrar os esforços na perda de poder econômico de parte da população em virtude da crise. (Assista ao discurso do vereador).


Assistência

O vereador José Roberto Legramandi apresentou indicação para que a Prefeitura crie medidas efetivas para atendimento assistencial aos moradores que enfrentarão problemas financeiros por conta dos efeitos da pandemia do coronavírus. A primeira iniciativa, considera Betão, seria a criação de uma dotação orçamentária a partir de aprovação legislativa, pois os gastos devem estar previstos no orçamento e existe o ano eleitoral, que impede o oferecimento de benefícios. “A primeira coisa que será buscada na Assistência Social, no mínimo, é uma cesta básica”, apontou. (Assista ao discurso do vereador).


Adiamento

O vereador Betão já tinha preparado um requerimento para ser votado na Sessão que solicitava o adiamento do projeto que aumenta o subsídio do prefeito, vice e secretários. "Não é o momento", relatou.


Bom senso

Momentos antes da Sessão, o vereador Irineu telefonou para o presidente Alison, demonstrando a necessidade da retirada. Após a indicação de que a mesa diretora apresentaria vistas, ele postou em seu perfil no Facebook mensagem demonstrando “bom senso” da Câmara. "Vivemos tempos sombrios e precisamos do esforço e bom senso de todos", escreveu.


Oportunidade...

O projeto de aumento do subsídio dos agentes políticos foi visto pelos adversários do atual governo e postulantes às eleições municipais como uma oportunidade para levantar bandeiras e marcar território. Os ex-vereadores Renato Rateiro e Fábio Chaves utilizaram suas redes sociais para mostrar suas indignações sobre o projeto, o primeiro por meio de um texto e o segundo por um vídeo.


...Oportunistas.

A reação dos vereadores Gabriel, Tuca e Alison, no entanto, foi de crítica aos posts, classificando os ex-vereadores de “oportunistas”.


Clima desfavorável

O presidente Alison revelou que, ao receber o projeto do poder executivo, a mesa diretora percebeu de pronto a polêmica que estava por vir, mas, mesmo assim, decidiu inseri-lo na Ordem do Dia. “A gente já sabia que o clima lá fora não seria dos melhores por causa deste momento delicado, mas não poderia engavetá-lo, pois se amanhã ocorrer um problema na saúde a culpa vai recair sobre mim”, avaliou o presidente, que disse ter recebido muitas ligações e mensagem para que a matéria não fosse votada. (Assista ao discurso do presidente).

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon

 CONTATO 

Cenário Social

Avenida Marcos Rogério dos Santos,nº 31, Centro,

Motuca-SP - CEP.: 14.835-000

e-mail: ocidadaonocontrole@gmail.com
Tel: 16-33481185