top of page

Ponte do Bonfim possui histórico de acidentes e recuperação de pista ignorou necessidade de melhoria

Na tarde do último sábado (30) um grave acidente envolvendo um caminhão baú deixou duas pessoas feridas e uma vítima fatal após o veículo cair na Ponte do Bomfim. Com histórico de acidentes, o trecho é considerado um dos mais perigosos entre as vicinais da região pelo alto declive e passagem estreita.


Vídeo postado pelo Portal Notícias Guariba Online - Região


Diante do histórico, autoridades do legislativo e executivo municipal tanto de Motuca como de Guariba se reuniram em 2017 para articular a duplicação do local. Em fevereiro do citado ano os prefeitos Ricardo e Dr. Francisco (da época) se reuniram do Departamento de Estradas e Rodagens (DER) para protocolar o desenvolvimento da obra.

“Seria ótimo. Passo ali todos os dias e já presenciei muitos acidentes", escreveu na ocasião um morador de Motuca em post de Ricardo em seu perfil no Facebook. “Verdade! Vamos persistir nesse pedido”, respondeu o prefeito.
Foto: Alternativa Rincão

O atual prefeito de Guariba, Celso Romano, também reiterou em fevereiro do ano passado junto ao DER a necessidade de duplicação do trecho. Em matéria da época publicada no site da Prefeitura, ele argumentou que o local “não atende com qualidade e segurança os veículos que necessitam utilizar esta via, pois não possui a largura suficiente para passagem de dois veículos, situação que se agrava em razão do declive que esta vicinal apresenta, nos dois sentidos, antes do acesso à referida passagem”.

Os esforços, no entanto, foram infrutíferos. A recuperação em andamento da pista ignorou a necessidade da duplicação do trecho, o que salvaria vidas futuras que possivelmente ainda perecerão por lá. O recapeamento, aliás, vem gerando várias críticas de condutores por deixar altos declives em suas laterais tornando a pista ainda mais perigosa.


Enquete:

Em sua opinião, o que faltou para a Ponte do Bonfim ser duplicada?

  • Mobilização maior das autoridades municipais

  • Compreensão do Estado em não perceber a necessidade da obra



Comments


bottom of page