top of page

“Peguei Covid e estou curado”, comemora um dos primeiros moradores a contrair a doença


Dois meses após o surgimento do novo coronavírus (Covid-19) no país, Motuca confirmava em 26 de maio, de uma só vez, os três primeiros casos, todos trabalhadores de uma usina da região. Até então a cidade era uma das poucas sem registros da doença.


“Fiz o teste hoje (3) e estou curado”, comemora um dos moradores, que relatou sua experiência ao Cenário.


Desde que descobriu da doença, permanece isolado em casa, onde passou a incorporar cuidados sanitários e higiênicos, ficar em um quarto sozinho e separar utensílios pessoais.


Sua esposa também teve o diagnóstico positivo. Mesmo com o convívio com os pais, a filha não apresentou os sintomas. Pelo protocolo da Secretaria de Saúde Municipal, apenas pessoas sintomáticas fazem os testes, apesar da maioria das pessoas que contraem o vírus não apresentem.


Os primeiros sintomas, lembra o morador, foram como uma gripe comum: dor de cabeça, mal-estar e febre. Mas o que mais o preocupou e o levou a acreditar que contraiu a doença foi a perda de paladar e do olfato. “Podia mastigar um alho que não sentia nada”, exemplifica.


Antes de descobrir a doença, ele confessa que não acreditava em sua gravidade e que poderia ser um dos infectados. Mesmo assim, quando soube o resultado, não teve medo da doença.


“Tenho imunidade baixa e sei que poderia ter sido mais grave, mas com orações e seguindo o que o médico falou consegui passar por isso sem grandes problemas”, revela ele, que, assim como a esposa, tiveram a forma leve da doença e não precisaram de internação.


Um dos fatores que mais o deixou incomodado, no entanto, foram boatos de que não respeitava o isolamento social. “Após descobrir que estava com a doença em nenhum momento saí de casa, pois tenho consciência e não iria colocar as pessoas em perigo”, afirmou.


De acordo com ele, mesmo curado, somente com autorização médica voltará a sua rotina normal. Após a experiência com a doença, o morador destaca a necessidade da população cumprir as recomendações das autoridades de saúde.

“Fiquem em casa e, se precisar sair, saiam com máscaras, usem álcool em gel, façam uma alimentação saudável, com o consumo de frutas com vitamina C como limão, pois com o frio a contaminação tende a aumentar pois favorece o vírus”, salienta.

O morador considera importante a sociedade aproveitar este momento difícil para fomentar ações solidárias, que contribuam com benefícios a pessoas e a entidades que precisam de ajuda. “Vi que o Hospital do Câncer, de Barretos, está com dificuldades e precisa de doações, então é preciso ajudar, pois é um trabalho importante para a sociedade”, conclui.

Comments


bottom of page