top of page

Motuca segue sem casos de dengue, mas condições para procriação do mosquito preocupa


Trabalho de nebulização realizado no ano passado por agente de conrole de vetores. Foto: Arquivo

Após recorde de casos em 2022, o departamento de saúde de Motuca não registrou neste ano diagnósticos de dengue. O atual cenário é comemorado por autoridades e equipe do setor, mas ainda existe a preocupação com o surgimento e proliferação da doença em razão das condições climáticas favoráveis para a procriação do mosquito Aedes aegypti, principal vetor do vírus que causa a dengue.

“Estamos num período de chuva e calor. Então é importante que os moradores continuem colaborando com a limpeza dos quintais e evitando o acumulo de água em locais que possam servir de criadouros”, orienta a coordenadora da vigilância sanitária Susi Elaine dos Santos Falvo.


O Departamento de Saúde já investiu em faixas com mensagens sobre os perigos da doença em pontos estratégicos da cidade. Além disso, durante todo o ano, agentes de controle de vetores realizam o trabalho de visita às residências e em locais considerados estratégicos, além da busca ativa de criadouros.


A disseminação recorde da doença no ano passado, com mais de 300 casos, levou o departamento de saúde a realizar trabalho de nebulização no interior de residências e "fumacê", cujo uso é restrito. Como prevenção, a Vigilância Epidemiológica orienta os moradores a usarem repelentes e inseticidas, além de eliminarem objetos que podem servir de criadouros do mosquito Aedes aegypti.

Comments


bottom of page