top of page

Imagens nunca vistas do universo são capturadas por supertelescópio da Nasa

O alvorecer de uma nova era na astronomia começou quando o mundo vê, pela primeira vez, todas as capacidades do Telescópio Espacial James Webb, da NASA, uma parceria com a ESA (Agência Espacial Européia) e a CSA (Agência Espacial Canadense).


As primeiras imagens coloridas e dados espectroscópicos do telescópio foram divulgados durante uma transmissão televisionada ontem (12) nos Estados Unidos.


Abaixo podem ser conferidas as primeira científicas coloridas e espectros que o observatório reuniu e o início oficial das operações científicas gerais do Webb. Foram selecionados por um comitê internacional de representantes da NASA, ESA, CSA e do Space Telescope Science Institute.


Essas primeiras imagens do maior e mais poderoso telescópio espacial do mundo demonstram o Webb em todo o seu poder, pronto para iniciar sua missão de revelar o universo infravermelho.


Mistérios

A expectativa é que, além de resolver mistérios do nosso sistema solar, o telescópio olhe para mundos distantes em torno de outras estrelas e investigue estruturas e origens do Universo, contribuindo para que o ser humano entenda melhor também o seu próprio planeta.


Homenagem

O nome escolhido para o novo telescópio espacial é uma homenagem a um antigo administrador da Nasa, James Edwin Webb. Ele liderou o programa Apollo, além de uma série de outras importantes missões espaciais.


Conheça os primeiros corpos celestes observados pelo James Webb, descritos pela própria Nasa:


- Nebulosa Carina: uma das maiores e mais brilhantes nebulosas do céu, localizada a aproximadamente 7,6 mil anos-luz de distância na constelação sul de Carina. As nebulosas são berçários estelares onde as estrelas se formam. A Nebulosa Carina é o lar de muitas estrelas massivas, várias vezes maiores que o Sol.


- WASP-96 b: planeta gigante fora do nosso sistema solar, composto principalmente de gás. Localizado a cerca de 1.150 anos-luz da Terra, orbita sua estrela a cada 3,4 dias. Tem cerca de metade da massa de Júpiter e sua descoberta foi anunciada em 2014.



- Nebulosa do Anel Sul: também conhecida como nebulosa “Eight-Burst”, é uma nebulosa planetária – uma nuvem de gás em expansão, envolvendo uma estrela moribunda. Tem quase meio ano-luz de diâmetro e está localizada a aproximadamente 2 mil anos-luz de distância da Terra.



- Quinteto de Stephan: localizado a cerca de 290 milhões de anos-luz de distância da Terra, na constelação de Pégaso. Foi o primeiro grupo compacto de galáxias descoberto, em 1877. Quatro das cinco galáxias dentro do quinteto estão presas em uma dança cósmica de repetidos encontros imediatos.



- SMACS 0723: aglomerados maciços de galáxias, em primeiro plano, que ampliam e distorcem a luz dos objetos atrás deles, permitindo uma visão de campo profundo em populações de galáxias extremamente distantes e intrinsecamente fracas.



Kommentare


bottom of page