top of page

Conselho de Saúde discute punições aos moradores que não eliminarem criadouros do mosquito

Integrantes do Conselho Municipal de Saúde de Motuca discutiram ações para punir moradores que não eliminarem de seus quintais objetos que possam servir de criadouros do mosquito Aedes Aegypti.


A primeira proposta foi do secretário Márcio Contarim, sugerida, de acordo com ele, por dirigentes do Departamento Regional de Saúde de Araraquara (DRS II), para condicionar a doação de cestas-básicas e outros benefícios sociais aos moradores que comprovarem ações de limpeza em suas residências.


“Algumas cidades já implementaram a medida, como Rincão e Boa Esperança do Sul, e Araraquara também vem estudando... porque as pessoas só vão acordar na hora que pesar”, apontou. Antes, o secretário havia criticado o fato de focos de larvas do mosquito terem sido encontrados em moradias de pessoas esclarecidas e com poder esquisito relativamente bom.


Convidada a participar da reunião para discutir a proposta, a assistente social Elenice Cristina Davoglio Candido demonstrou sua posição contrária. De acordo com ela, a medida cria um falso estigma de que a condição vulnerável da pessoa está ligada a sujeira. “Também acredito que não vai trazer tanto resultado”, apontou. A profissional questionou a efetividade operacional e legal da iniciativa. Prevista para ser deliberada pelo Conselho Municipal de Assistência Social a proposta foi descartada.


A conselheira Ivonete de Mello Santos considerou necessária a fiscalização, notificações e multas direcionadas a moradores que forem flagrados com quintais sujos. “Isso tem que ser feito antes dos períodos das chuvas, quando não estão acontecendo os contágios”, apontou.


A coordenadora Susi Elaine dos Santos Falvo, da Vigilância Sanitária, disse que o município desenvolve durante o ano todo trabalho voltado a enfrentar a dengue, mas falta uma legislação municipal com previsões de punições . “A gente já conversou com os vereadores, mas a gente sabe que existe a dificuldade em aprovar leis impopulares”, pontuou.


Reunião do Conselho Municipal de Saúde

Comments


bottom of page