logo_final.png

O mundo lírico de Cecília Meireles


Cecília Meireles ficou órfã muito cedo e essa experiência precoce com a morte acabou sendo traduzida em muitos aspectos de sua obra, como a eterna mudança das coisas, os lugares, as lembranças, a nostalgia e a brevidade do tempo. A genialidade da poeta é abordar tantos temas melancólicos com suavidade, envolvendo seu leitor sem aterrorizá-lo. Leia abaixo uma de suas belíssimas poesias:

Epigrama nº 2

És precária e veloz, Felicidade Custas a vir, e, quando vens, não te demoras. Foste tu que ensinastes aos homens que havia tempo e, para te medir, se inventaram as horas. Felicidade, és coisa estranha e dolorosa. Fizeste para sempre a vida ficar triste: porque um dia se vê que as horas todas passam, e um tempo, despovoado e profundo, persiste.

Texto originalmente publicado na 20ª edição no Jornal Cenário. Acesse o acervo do periódico.


#cultura #anaroma

0 comentário
  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon

 CONTATO 

Cenário Social

Avenida Marcos Rogério dos Santos,nº 31, Centro,

Motuca-SP - CEP.: 14.835-000

e-mail: ocidadaonocontrole@gmail.com
Tel: 16-33481185